Desde 11/11/2017, está em vigor a Reforma Trabalhista que trata da lei 13467/2017  na qual instituiu alterações importantes nas relações trabalhistas. Agora é possível fazer acordo ao demitir sua empregada doméstica.

Nesse post vamos falar exclusivamente de rescisão, pois foi onde tivemos uma grande e importante mudança.

Todos nós, se não passamos por isso, vimos alguém passar: a empregada chega para o patrão e pede para “ser mandada embora” ou “fazer um acordo” para poder receber o fundo de garantia e o seguro-desemprego. Até 09/11/2017 – antes de entrar em vigor a reforma trabalhista – isso não era possível de jeito nenhum

Agora isso mudou. A legislação passou a permitir a modalidade de rescisão chamada rescisão por acordo entre as partes.

Vamos entender como funciona então.

Caso queira um jeito simples e rápido para deixar tudo certinho na rescisão: Conheça nossa assessoria!

O que é rescisão por acordo entre as partes?

Trata-se de uma nova modalidade de demissão da empregada, na qual, quando ela, por vontade própria, deseja sair do emprego e não quer abrir mão do saque do FGTS.

Se e empregada deseja sair do emprego, por que ela não pede a conta?

Por que, se ela solicitar a demissão, não poderá movimentar (sacar) o FGTS.

Quando esse pedido de acordo pode acontecer?

A qualquer tempo e, exclusivamente, pela empregada.

O empregador é obrigado a aceitar o acordo?

Se o empregador não puder arcar com os valores de indenização que, embora bem reduzidos ainda existem, não há essa obrigatoriedade.

Se eu aceitar o que terei que pagar?

Com a nova lei, caso opte pelo aviso prévio indenizado, pagará 50% dos dias que ela teria direito a receber .

Além disso pagará os dias trabalhados no mês (saldo de salários), férias proporcionais e vencidas e décimo terceiro salário proporcional, ou seja, em relação a esses itens, nada mudou.

O que é aviso prévio indenizado?

Quando desejamos demitir a empregada, devemos obrigatoriamente avisá-la com 30 dias de antecedência. Com isso, ela tem 30 dias para organizar sua vida financeira e procurar um novo trabalho. Caso esse aviso antecipado não aconteça, precisamos pagar esses dias para a empregada. Isso é o que chamamos de aviso prévio indenizado.

Na prática funciona assim: caso sua empregada tenha vindo falar com você para solicitar o acordo e, por algum motivo, você prefira que ela já não venha mais para sua casa a partir de hoje e, mesmo assim, ela se dispuser a vir trabalhar nos próximos 30 dias, você tem que indenizar a metade desses dias para ela.

Exemplo: a empregada tem um salário de R$ 1.000,00 por mês e você optou por indenizar o aviso prévio. No acerto das verbas rescisórias, vai aparecer um valor de R$ 500,00 para pagar a ela.

Lembrando que esse valor pode variar, pois a cada ano de trabalho, o aviso prévio aumenta em 3 dias. Ou seja, caso ela esteja trabalhando com você há 3 anos, teria direito a 39 dias de aviso prévio. Nesse caso, o valor a pagar seria de R$ 650,00, tecnicamente falando: R$ 1.000,00 / 30 * 39 / 2 ou seja, salário mensal / 30 * 39 dias de direito de aviso prévio / 2 (metade do direito).

Não precisa se preocupar com esse cálculo, qualquer coisa chama a gente no chat aqui embaixo, no WhatsApp ou manda um e-mail!

Se eu aceitar que ela venha trabalhar, como fica?

Nesse caso, podemos encaixar na modalidade de aviso prévio trabalhado. Então, ela trabalhará mais 30 dias na sua casa e, no final, terá a receber os direitos já adquiridos na antiga lei (saldo de salários, férias proporcionais e vencidas e décimo terceiro proporcional) e, ainda, poderá sacar 80% do saldo do FGTS.

O que minha empregada vai receber de “direito trabalhista” se eu aceitar o acordo?

Ela poderá movimentar (sacar) 80% do saldo do FGTS e o aviso prévio indenizado (caso você opte pela saída imediata). Claro, as verbas que já eram direito adquirido também serão pagas – férias proporcionais e vencidas e décimo terceiro salário proporcional.

Fazendo esse acordo a empregada poderá receber seguro-desemprego?

Não. Nessa modalidade não há direito ao seguro-desemprego. Porém, esse período trabalhado conta como tempo de serviço. Caso precise de maiores informações, dê uma olhada nessa publicação sobre seguro-desemprego.

Qual a diferença entre antes e depois da reforma trabalhista?

Difícil, não é? Vamos tentar colocar em poucas palavras o antes e depois em relação ao processo de rescisão:

tabela sobre a reforma trabalhista onde fala sobre fazer acordo

Lembre que o Doméstica App desburocratiza todos os processos administrativos relacionados à sua empregada. Baixa agora!